“Não se julgue, dentro da vida, como alguém que nunca prestará contas dos atos mais íntimos.
Tudo o que praticamos, Dirceu, permanece gravado no livro da consciência. O bem é a sementeira da luz, portadora de colheitas sublimes de alegria e paz, enquanto que o mal nos enegrece o espírito, como tinta escura que mancha os alvos cadernos escolares."

Mensagem do pequeno morto — Carlos por Neio Lúcio

sábado, 1 de outubro de 2011

Vivendo no Mundo dos Espíritos

- “Se queremos nos aproximar de Deus, temos que investigar para
conhecermos um pouco da sua maneira de ser. As atividades humanas têm,
no desejo de aquisição, o elemento que as sustenta. Em conseqüência
disso, somos todos egoístas, chegando a atingir os planos mentais ou
psíquicos. Nossos irmãos inconscientes ou semiconscientes, quando
buscam a preservação do indivíduo, não ultrapassam o necessário para sua
sobrevivência e realização de suas funções. Nessas ditas manifestações,
podemos ver Deus criador agir sem interferência na liberdade do indivíduo,
coisa que não acontece no âmbito do ser humano. Ora, se quero me
relacionar bem com um indivíduo, tenho que conhecê-lo, gostar das mesmas
coisas que ele, amar aquilo que é seu e, se possível, pensar como ele.
Por que as flores são belas e perfumadas? Interrogação interessante
que nos leva a meditar e, meditando, chegamos à intuição. Para a
personalidade, tudo tem um motivo; todo caminho ou toda ação tem como
princípio um fim. Não concebemos agir sem um fim pessoal. Vivemos presos
à atividade da mente, arquivo do passado coletivo e particular, por isso não
percebemos que a ação cósmica não tem necessidade de chegar a lugar,
ganho, ou fim nenhum.
Muitos dirão que as flores são belas e perfumadas porque Deus quis
embelezar e perfumar o ambiente e a vida dos homens. Que pretensão! A
Vivendo no Mundo dos Espíritos Patrícia
beleza, a pureza e o perfume da inocente flor enfeitam a existência também
do revoltado, do gozador, do egoísta, do desumano que é capaz de se opor
ao Criador, que o sustenta em todas as suas necessidades. Ademais, para o
Pai, que realmente ama, aspectos externos não alteram a sua maneira de
amar. Ele ama todas as suas manifestações, porque elas fazem parte Dele.
Na verdade é Ele mesmo, pois fora Dele nada existe. Não, não foi por causa
do homem que Deus criou as flores.
Para elas, por que motivo existe, então, tanto perfume e beleza?
Nenhum. São o que são, pela sua própria natureza interior, não importa que
a vejam ou não. Que estejam num jardim entre os homens ou na mata onde
ninguém as veja. Não importa onde nascem, serão sempre a manifestação
de agradável beleza.
Da mesma forma devem ser os homens, só que com uma diferença, o
que a flor é por inocência, deve ser o homem por sapiência. Tem o homem
liberdade para ser a mais bela manifestação do Eterno. Muitos são contra, e
é o que com a maioria acontece. Outros, livres e conscientes da Divindade,
se integram a Ele, passando a refletir o Eterno, saturando a Terra de luz,
beleza, perfume e, acima de tudo, do amor incondicional que tudo envolve
no seu carinho protetor.
E as violetas? Teriam elas inveja das rosas ou desejariam um dia vir a
ser rosas? Não! As violetas estão felizes em ser o que são; felizes por serem
manifestações do Criador, sem pretender nenhuma justiça por parte Daquele
que tudo é, pois tudo que elas são a Ele pertence, e delas mesmo nada
possuem.
O homem bom deve ser bom, porque esta é a sua natureza, e não
para receber prêmios e louvores. Não importa se os outros verão ou não a
sua bondade. Deve ser como as flores, que não escolhem lugar nem pedem
reconhecimento para ser o que de fato são.
Devemos imitar as flores, cuja alegria e felicidade está na atitude
permanente de refletir o belo, o perfumado, o imponderável. O nosso paraíso
não está no além, nem no aquém, está dentro de nós mesmos.”

Fonte: Livro: Vivendo no Mundo dos Espíritos. Psicografado pela médium Vera Lúcia Marinzeek de
Carvalho: Com o espírito Antônio Carlos

Nenhum comentário:

Postar um comentário